terça-feira, 21 de julho de 2009

três Do27 em Coimbra



Sim, não é espanto nenhum, no fim de semana 11 - 12 de Julho de 2009, foram vistas um total de três Dornier Do27 em Coimbra...




Dornier Do27 nº FAP 3358


A única Do27 em operação actualmente pelo Museu do Ar, ostenta as cores e o esquema de pintura da nº3357, por que alguém em tempos disse que o queria ver restaurado como o "seu" avião.
No entanto o que o identifica correctamente é a sua placa de registo do contructor, que não deixa lugar para enganos.
O No.3358 foi, como as restantes, operada anteriormente pela Força Aérea Alemã, sendo os seus registos anteriores, por ordem, PB+224, QB+401, PZ+218 e 55+85.

Dornier Do27 reg.CS-AQH

Os "afficcionados" da numeralogia e que não tem medo de sujar as mãos na ferrugem, encontram em Coimbra desde há alguns anos, um vasto relicário de aparelhos e partes, de todo o tipo de aeronaves ligeiras, essencialmente civis, mas também algumas, que foram militares.
Ainda persiste por lá, depois de um malfadado acidente, a Dornier Do27 reg.CS-AQH, pertença do Aero Clube de Braga desde 1977.
Esta causa alguma confusão, pois se procurarmos na primeira edição dos Aviões da Cruz de Cristo, o Mestre Canongia fala que a relação do c/n 384 é com o número FAP 3472, na edição seguinte, já é com o 3462, igualmente o diz o Mestre MAJ.Adelino Cardoso no seu livro. Mais ainda, um dos livros "F40" sobre a Dornier Do27, do Siegfried Wache, um autor com imensas publicações do género sobre aeronaves militares alemãs, reforça que o c/n 384 foi depois o FAP nº3462 (exWGAF GA+381 e LC+161).
Curiosamente, uma das asas existentes em Coimbra, podemos já ver, por debaixo do registo civil CS-AQH, o número FAP 3464 !!! Algo que não me espanta, nem admira, pois uma troca por canibalização no passado não é de estranhar, de modo algum, só falta uma confirmação fidedigna.
Mas afinal em que é que ficamos? O tempo por certo trará uma resposta.


Dornier Do27 H2 nº "3422"

Em restauro, um restauro de precisão de relojoeiro, devo realçar, mais um trabalho de amor a sair das mãos do Mestre Pinto, uma outra Dornier Do27 verá o seu primeiro voo no ano que vem, esperamos todos nós.
Para a sua história consta que já foi da Força Aérea Suiça (reg.V-606), e também ostentou os registos HB-HAC e D-EFQK.
Já voou como sendo o nºFAP '3422', um número sempre a colocar sempre entre aspas, já que, na verdade, nunca integrou a FAP operacionalmente.

Quer dizer ... ainda apareceu em festivais aéreos e rebocou planadores da AFA, mas sobre as estórias do porquê de esta Do27 estar por aqui, tenho de me socorrer das memórias de um amigo que, tendo sempre sonhado com a FAP receber (ainda no Ultramar) as Dornier Do27 H2, «bem falta fizeram», só anos depois conseguiu pelo menos adquirir uma, para o Museu do Ar, e que em breve voltará a cruzar o azul...

1 comentário:

  1. Ola.
    Tenho gratas recordacoes do CS-AQH. Fiz muitos saltos nesse aviao e muitas vezes com o saudoso Coronel Abreu Cardoso aos comandos. Tambem tive a minha dose de falhas de motor em Paramos por volta de 1986 mas nessa altura nao fomos convidados a sair, oferecemo-nos. Antes do Coronel Abreu Cardoso dar conta ja estavamos todos la fora aos 1500 pes.

    Nuno Oliveira Santos.

    ResponderEliminar